sábado, 4 de fevereiro de 2012

Traição e BDSM, pode?



   Traição é um assunto polêmico seja dentro ou fora do BDSM, eu penso que haja uma sutil diferença entre fidelidade e lealdade; vejo a fidelidade como algo ultrapassado, inventado pela igreja e por homens que desejavam controlar o povo com suas regras que ferem a natureza humana, somos primatas polígamos.   É claro, somos também seres pensantes e não temos que ser promíscuos, nem ferir os sentimentos dos outros, por isto existe uma coisa chamada acordo e dentro do BDSM isto é intensamente praticado, feito previamente e várias vezes ao longo da relação, as pessoas sabem e concordam com o que virá a acontecer, não se magoam por causa disto.   Vejo a lealdade, ou a falta dela em todo seguimento da vida, não só na relação homem/mulher, penso que quebrar a confiança, o que foi acordado com palavras ou que tenha sido subentendido, é trair, não importa se é dentro da família, do trabalho, com amigos ou com parceiros sexuais, mas o que foi acertado antes e se está de acordo, seja lá o que for, claro que respeitando a integridade física e mental do outro não pode ser considerado traição.
   Obviamente que já se pode adivinhar que numa relação de Dominação/submissão só uma das partes tem este direito de se relacionar com terceiros, isto faz parte do acordo, mas se pensarmos que dentro do BDSM existe uma coisa chamada empréstimo de escravos, podemos ver que no frigir dos ovos não é exatamente assim, claro que tudo tem que ser consensual, acordado antes.   Pessoalmente eu dou outro nome a relações com desconhecidos ou mesmo pessoas que foram escolhidas por outra pessoa que não seja o submisso, para mim é uma forma de usar o BDSM como desculpa para a prostituição, mas esta é minha opinião, não confere com a de muitas pessoas no meio, entretanto sei que tem muitos pensam como eu.  Existem casos absurdos e não entendo bem o que leva ao submisso a aceitar tais coisas, como ser colocado em uma casa de prostituição real e ser usado para benefício financeiro de seu "dono" ou de quem ele aprouver, para mim isto, esta coisinha insignificante e doente, não é dono de nada, é um cafetão que usa o BDSM para justificar suas safadezas; e este é só um pequeno exemplo de abuso, onde o outro já foi completamente dominado psicologicamente, se sentindo inferior, um coisa nenhuma, ou mesmo, gosta de se prostituir de fato e de verdade.
   Vejo o BDSM com duas vertentes, a dos que o praticam com amor envolvido (meu caso) e os que fazem questão de que não haja sentimentos envolvidos, se é que isto é possível.   Não consigo ver uma relação tão intensa quanto sadomasoquismo e dominação psicológica sem haver sentimentos...   É teatro? Encenação pura?   Não, para mim não, tem que haver amor, paixão, para fazer bater forte o coração.   Sem falar que em muitos momentos a vida da pessoa estará nas mãos do Dominante e para isto tem de haver muita confiança.   Voce confiaria a sua vida a quem você não ama e que você não pense que te ama?   Quando digo confiar a vida, é no sentido de que o submisso muitas vezes estará amarrado, algemado, a mercê das vontades do outro; que as brincadeiras podem ser perigosas, como por exemplo o aparentemente inocente gelo, a pessoa lá, amarrada e amordaçada e o gelo dentro de seus orifícios por tempo demais, pode passar de prazer para morte dos tecidos e causar problemas graves, isto por falta de pesquisa e conhecimento antes de praticar os jogos chamados de adultos não por acaso.   Aí o sujeito diz que tem experiencia, que estudou muito o iceplay ou seja lá o que for e é tudo mentira, isto não é uma traição?   Não é uma traição grave onde quem vai pagar as consequências é voce que confiou?
   Então a traição em nenhum sentido tem espaço numa relação BDSM, pois se isto acontece quebra algo arduamente conquistado, a confiança, sem a qual não pode haver entrega absoluta, para que sejam feitas as brincadeiras de adultos.   Voce se deixaria amarrar por alguém que você não tenha plena confiança?   Deixaria alguém que você não tenha certeza que não vai ter ferir de verdade, nada além do que você permite fosse te açoitar?

   No BDSM ter várias escravas é natural para muitos, é aceito ou não, mas é uma opção que se discute abertamente, sem as neuras do mundo baunilha (que não pertence ao BDSM), não há a necessidade de mentir, de forma que tudo é dito francamente, tudo é exposto, os sentimentos mais secretos são explanados, os desejos mais incomuns são discutidos, dessa forma não há espaço para traição, se ela surgir toda relação foi comprometida, pois a confiança é a base junto a tríade SSC.  São, Seguro (confiável) e Consensual.
   A mesquinhez da nossa sociedade de pregar a poligamia como algo que chama de traição, desde os aparentemente inofensivos livros de contos de fadas que moldam a nossa personalidade desde a idade mais tenra é o que nos faz ter pensamentos retrógrados nos dias de hoje, mas se entendermos que trair é sinônimo de mentira e não de infidelidade, veremos que exigir do outro um comportamento de que ele e nem nós somos capazes de ter é pedir para ser enganado.  A partir do momento em que se tenha a liberdade de expor todos os desejos para o (a) parceiro (a), a relação fica mais sólida, a cumplicidade é de fato estabelecida, tudo se torna mais leve e feliz.   Infeliz foi aquele que inventou a palavra corno e deu a ela um sentido pejorativo, não tinha nenhum conhecimento da natureza humana e era um verdadeiro hipócrita que não admitia suas próprias atitudes e deixava de cuidar de si para julgar a vida dos outros, provavelmente era um e nunca soube disso, pois estava ocupado demais tomando conta da vida alheia.

   Seja qual for o estilo de relação que se escolha viver, o que vale mesmo é ter prazer e ser feliz, esquecendo os outros, das regras dos outros, o que os outros vão pensar, os outros não tem nada haver com a tua vida e nem precisam saber da tua vida íntima.   Não se importe com o que os outros dizem sobre isto ou aquilo, siga a sua vida se ela te faz feliz, se não faz, mude-a a tua vontade.

Dorei.


   Quero aproveitar a oportunidade de conseguir estar na internet, coisa que ficou rara agora para mim até não sei quando nesta minha nova cidade, para dizer que li finalmente os comentários do post do sábado retrasado e fiquei imensamente feliz, é muito gratificante este carinho de voces e saber que de alguma forma estou esclarecendo alguma coisa por pouco que seja, que BDSM não tem que ter dor se não se deseja, que pode ser apenas jogo de dominação e submissão, que ao contrário do que parece, está mais junto do nosso cotidiano e intimidade do que na maioria das vezes conseguimos perceber.


   Quem não entende porque a mulher está na posição de submissão na maioria dos casos, não entende também a natureza humana, fomos forjadas para servir, claro que toda regra tem exceções e tem muitas mulheres dominadoras e homens submissos, tem também os switchers (que alternam as posições, ora de comando, ora de subserviência. ora de sádico, ora de masoquista), mas isto é outra história.
   
   My Lady, o texto de sábado passado com a Déborah, ficou de tirar o folego e molhar a calcinha se eu usasse isto em casa, rsrs    Obrigada!




   Obrigada a todos pelo carinho e paciencia com minha ausência!

10 comentários:

{Mansinho}_da Loirinha disse...

COMO É BOM TE LER NA NAU MINHA AMIGA... SOU SUSPEITO PELO CARINHO QUE TENHO POR TI RS, E SUSPEITO PELO PRAZER QUE TENHO PELO NOSSO "BDSM SAGRADO DE CADA DIA" MAS... POSSO DIZER QUE CONCORDO (SÓ PRA VARIAR... SE BEM QUE FAZIA UM TEMPINHO QUE EU NÃO DIZIA RSRS...)... QUE CONCORDO COM TUDO, QUE AMO SUA MANEIRA DIDÁTICA E 100% SSC?

GOSTEI MUUUITO DO TRECHO "A mesquinhez da nossa sociedade de pregar a poligamia como algo que chama de traição, desde os aparentemente inofensivos livros de contos de fadas que moldam a nossa personalidade desde a idade mais tenra é o que nos faz ter pensamentos retrógrados nos dias de hoje" E...

ACREDITO SIM QUE É POSSÍVEL BDSM COM ENVOLVIMENTO AMOROSO/AFETIVO (NOSSO CASO TBÉM) COMO SEM NENHUM ENVOLVIMENTO AFETIVO...

NO MAIS... SALVE DOREI!!! SALVE ESSE SÁBADO COMEÇANDO TÃO BEM COM SEUS DELICIOSOS ESCLARECIMENTOS...

BJS TRIPLOS E INTÉ....

OLD SORCERER disse...

Cara Dorei,

Infelizmente a fidelidade, ou acordo entre casais, quer seja dentro ou fora do bdsm, jamais será respeitado, o homem é infiel, é promíscuo, não leva um envolvimento emocional com a mesma seriedade que a mulher.

Quanto a firmar regras antecipadas, elas podem ter efeito por algum tempo, porém a partir do momento que exista o amor, sempre haverá mágoa caso sejam quebradas.

Não existe homem fiel, não conseguimos perceber o quanto um juramento de fidelidade é importante quando uma ereção acontece, tudo se torna secundário, dispensável, a natureza atua com força plena nessa ocasião, tornando o primata irresponsável e o levando ao adultério.

O bdsm é como um play ground nessa hora, permite que o dominador(a), haja livremente seguindo os seus reais desejos.

Não gostamos de admitir que a fidelidade masculina é um mito, seja qual for a ótica por onde é observada.

Essa é a minha modesta opinião, que se formou através de décadas de observação do comportamento dos do mesmo sexo e do meu próprio.

Desejo ainda que se adapte perfeitamente nessa nova cidade, assim podendo se dedicar mais ao blog que todos adoramos.

Beijo com todo carinho.

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Dorei Fobofílica Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Carissimo,OLD SORCERER, tenho certeza que não atentastes bem para meu texto e não percebestes que em momento algum eu estou valorizando a fidelidade, mas sim a lealdade, onde ter relações extras é permitido e só a verdade é valorizada, eu tenho quase cinco anos de uma relação BDSM e quase 20 de um casamento aberto, portanto posso atestar que existe sim, uma vida feliz dentro dos parâmetros que escrevi, não estou divagando, mas falando de experiencia própria.

Obrigada por manifestar o tteu pensar!

MANSINHO DA LOIRINHA. voce também sabe bem e por experiência vivida que o que eu falo é verdade. Obrigada por todo teu imenso carinho, adoro voces! Voce é adorável e a Loirinha é uma mulher que admiro imensamente. Beijos nos três!

Dorei.

Eroticamente (In) Correto disse...

Eu comentei o tema com vc justamente pq apesar de "baunilha" compartilho com a tua opinião.
Adoro cada texto teu pela sinceridade e a maneira franca de tratar assuntos tão delicados e desconhecidos para a grande maioria, que é onde me incluo.


Beijo do Capetão!

EU SOU NEGUINHA disse...

Como sempre,show.Partilho de suas idéias,respeitando a dos outros,fato.
Não vejo a necessidade de mentir,já que tudo que sinto,penso e quero viver é compartilhado dentro do SSC e na base da lealdade,entrega,confiança e sentimentos.A medida que isso foi sendo conquistado a entrega se deu de forma tranquila,serena e cheia de confiançae hoje a vivo intensamente.
Beijos menina
Adoro vc viu?

{Nega}_(V)

Sophysticada disse...

Dorei!

Mais um texto delicioso e polemico. Penso q pior q ser traído é trair.
Não é fácil mentir. Enganar se iludir e sofrer tão caladinho... Mas cada "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é" -

Bjk@s

SexyButterfly disse...

Sempre inteligente e sensata.

Não importa a opinião de cada um...o mais importante que fica, pra mim, é a questão da lealdade. No BDSM ou fopra del. Sempre!

beijos borboléticos!

SexyButterfly disse...

Sempre inteligente e sensata.

Não importa a opinião de cada um...o mais importante que fica, pra mim, é a questão da lealdade. No BDSM ou fopra del. Sempre!

beijos borboléticos!

Milla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Milla disse...

Aiaiai... Como não ter paciencia se o que vem depois dela é sempre esse desvendar de coisas meio ocultas que pelos teus dedos escorrem e vão tingindo a tela de modo que tudo fica claro e delicioso de se ler.
Delícia de texto este. Cheio do contexto histórico para se compreender do que se trata.
Sim, lindona. A lealdade é o que mais interessa aqui. As outras coisas permanecem como velhas estruturas, porque tem sim, quem se alimenta delas e das hipocrisias geradas pelas mesmas.
Beijo grande, lindona. Tomara que encontre um meio de está sempre deixando por aqui essas delícias com as quais nos brinda sempre.

Beijos no coração!

Milla