sexta-feira, 20 de abril de 2012

Meu amigo Alê (por LadySiri)

Era fim de tarde de um sábado ensolarado...a noite prometia ser quente. Eu tinha terminado uma massagem e meu amigo Alê também. Meu celular tocou. Olhei no visor e vi quem me chamava...exitei e não atendi. Alê me olhava atentamente. Aliás, depois do ocorrido daquela massagem com o velinho o Alê sempre me olhava atentamente (quem leu A massagem) sabe do que estou falando, rs. E com um olhar sacana ele me perguntou:
- O que há gata? Por que não atende quem te chama?
Eu, com olhar meio perdido pelos prédios daquela paisagem urbana respondi sorrindo...
- Ai Alê¹ O que eu faço? É o psicólogo de 1.95 m que conheci outro dia pela internet...bonitão, bom papo, bem sucedido, mas não tem aquela química sabe...ele quer sair hoje...mas também marquei com meu ex-marido, e com o gatinho lindo apaixonado mas...não sei...
Alê abriu um largo sorriso, e seus olhos brilharam quando disse:
-Sai comigo gata! Vamos curtir a noite hoje...nós dois.
Suas palavras e seu olhar penetraram no meu âmago como uma espada brilhante...não pude recusar. Demorei alguns segundos para responder...
-Ás 9:00 então.
-Perfeito!
E lá estava eu, de vestidinho preto despojado, sandálias de salto alto e cabelos soltos ao vento, um bocadinho além do horário marcado entrando no carro do colega. Fomos para o Madame Satã. Ele sabia que eu gostava de rock. E que amava dançar.
Chegando lá, enquanto ele pedia um drink para nós, já me pus no clima e, ao som de A-ha, balançava meu corpo provocantemente. Alê tinha o estranho poder em me deixar permitir ser livre, leve e solta...era delicioso estar ao seu lado. Eu o sentia como meu AMIGÃO mesmo. Apesar de que após "A massagem do velinho", sentíamos algo a mais do que o normal entre dois amogos um pelo outro, rs.
Com os drinks na mão, decemos para a pista "underground" e começamos a dançar embalados pelo som e clima malucos do local. Dançamos separados mas inevitavelmente acabávamos "coladinhos" e quando eu me percebia naquele clima, imediatamente me afastava e começava a dançar sozinha, longe dele. Provocando-o.  O que atraia também, outros machos de plantão. Quando um homem mais atrevido se aproximou demonstrando mais ousadia, eu corri para o Alê que me protejeu prontamente...e aí, ele se sentiu meio que meu dono. Mas eu não dava mole. Afinal, ele era meu amigo, meu colega de trabalho, meu confidente. Subimos para trocar de ares. E entre um gole de vodka e outro eu comentei como o pessoal do trabalho comentava que devíamos ficar juntos. Que eramos lindos, desempedidos, e cheios de coisas em comum...mas que eu sempre dizia que éramos apenas bons amigos e bla bla bla...então ele me interrompeu com um beijo na boca! Beijo atrevido, longo, sensual e muuuuito quente...Invadindo minhas barreiras, destruindo minhas defesas,
me deixando indefesa...Ele me olhou nos olhos e disse: 

-Eu sabia! Eu sabia que você tinha esse beijo, esse gosto maravilhoso, delicioso!
Meu coração dava saltos dentro do peito denunciando minhas emoções. Pedi licença e fui ao banheiro me recompor. Lá dentro da casinha eu falava comigo mesmo, em voz alta:
-Meu Deus, o que estou fazendo? Ele é meu amigo. Meu colega de trabalho! O que eu faço???
Quando saí, as garotas do banheiro que ouviram meus pensamentos me aconselharam que se eu gostava dele, se tinha atração, que me entregasse. Se não que o apresentasse a elas, rs.
Saí do banheiro decidida. subi as escadas rumo a minha felicidade e que se danasse o que os outros iriam pensar. Quando cheguei lá em cima, encontrei o Alê rodeado por garotas lhe fazendo a corte. Mas quando ele me viu, deu um passo a frente abrindo um sorriso radiante e me beijou ardentemente. Era definitivamente, um príncipe! Decidimos ficar sozinhos e fomos embora. A caminho da casa dele, ele parou o carro numa ruazinha erma, me beijou com volúpia, me olhou nos olhos e disse: Me chupa cachorra!
-Ahn??!!
-Vem gata...-abrindo o fecheclaire- Vem mamar no pau do seu macho...
-Que é isso Alê?! Tá maluco???
-To! Maluco por você...e faz tempo! Eu sei que você gosta. Vem mamar na pica vem minha putinha...eu sei que você adora!
Aquilo desmoronou todas as minhas defesas, quando vi aquele pau saltando das calças e pulsando de tesão, fiquei louca! Caí de boca toda luxuriosa, cheia de desejos...sentindo minha bucetinha intumescer e se encharcar. O Alê também sentiu, pois imediatamente enfiou os dedos, puxando minha calcinha de lado e mergulhando os dedos hábeis na minha xoxota encharcada, toda inchada e latejante. E rebolei naquelas mãos até gozar gostoso enquanto o chupava com vontade...Então ele ligou o carro e seguimos pra casa dele. 
Já chegamos nos beijando e nos agarrando como...loucos, desvairados. Fomos arrancando toda a roupa no caminho do quarto...arrancando os cabelos, suspiros e gemidos...palavras desconexas, tapas, mordidas, olhares fulminantes, bocas sedentas...ele me jogou na parede, na cama, no chão...e nos comemos feito dois animais no cio noite a dentro. 
Já era dia quando abri os olhos, meio desnorteada, sem entender muito bem aonde estava, quando aporta se abriu, e vi contra a luz da janela, um Deus grego, moreno, de pele cheirosa, vestindo uma boxer branca, emoldurando um corpo perfeito, se movendo em minha direção com um belo sorriso no rosto e carregando uma bandeja farta de guloseimas para o café da manhã, proferindo uma voz melodiosa que me dizia: 

-Bom dia gata!
"Jéééééésus! fui pro inferno e acordei no paraíso?!" Pensei...
E o Alê me proporcionou muitas idas ao paraiso por muito tempo! 
Graaande amigo o Alê...





5 comentários:

http://contoseroticosdeayeskaeamigos.blogspot.com disse...

Bom-dia Lady Melzinha!
Que amigo Alê , hein???
Estava curiosa para saber...rsrs

Bjs doces e como voce diz: Namastê...




Ayesk@

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Dorei Fobofílica Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

My Lady, li na ocasião a massagem do velhinho, aquilo foi impressionante e já ali falastes do Alê. É complicado as vezes deixar acontecer com pessoas do nosso convívio no trabalho, mas se valer a pena, se for um clima legal com uma pessoa inteligente e discreta, que saiba separar as coisas, pode ser mesmo delicioso. Senti aqui cada duvida que te passou pela cabeça, cada desejo refreado e depois desenfreado. Adorei!
Beijinhos em ti my Lady!

LadySiri disse...

Pois é querida Dorei, vivi um conflito angustiante pois sempre ouvia papai dizer: "Onde se ganha o pão não se come a carne". Mas o Alê realmente valeu a pena, além do que, fazia uma massagem maravilhooosa, rs.
Beijokas Ayeska e Dorei...e tenham um belo final de semana!

Eroticamente (In) Correto disse...

Lady, Lady, Lady,... Graças ao "amigo" tenho o privilégio de te ler aqui novamente e isso não tem preço nem dilema que pague.

Bjokas do IN_

Deh... disse...

Noooossa este post me trouxe grandes lembranças....rsrs
Bom demais esses amigos Ale's..rsrs

Beijos Lady