domingo, 15 de abril de 2012

Pedalando com Derek (por Derek Dick)

Fênix acordara muito cedo naquele sábado. Gostava de estar na rua antes das 7h da manhã para pegar a ciclovia livre e treinar.
Num dia como aquele, se ela saísse muito tarde o calor atrapalharia seu desempenho, e queria estar em forma para o desafio em grupo dentro de três semanas – um trajeto de 50 quilômetros.
A manhã estava linda e logo lá estava ela, toda equipada – capacete, luvas, óculos e bermuda e camiseta de poliamida e lycra.
Estava tão concentrada que somente um tempo depois notou outro ciclista que parecia acompanhá-la. Andava a seu lado, mas parecia igualmente concentrado no seu próprio treino. Notou que ele tinha um belo corpo que já mostrava o suor fruto do esforço desenvolvido.
Deu-se conta que havia se perdido em outros pensamentos e quando havia se decidido a focar em suas pedalas o sujeito a seu lado disse:
- Oi, tudo bem? Treina sempre nesta ciclovia?
-Sim,ela respondeu. Faz um ano que treino aqui na Beira Mar Sul.
- Eu costumo usar a Hercílio Luz, mas estou experimentando essa aqui hoje e acho que já me convenci que é melhor pedalar por aqui.
- É mesmo? Por quê? – perguntou Fênix, curiosa.
- Bem, a começar pela companhia. Lá na outra não tem nenhuma morena bonita assim como você.
Fênix ficou sem graça na hora e freou sua bicicleta.

O ciclista fez meia-volta e retornando parou em frente a sua bicicleta, dizendo:
- Desculpe, não quis atrapalhar seu treino. Meu nome é Derek.
- Não, tudo bem. Eu que peço desculpas, é que não estou acostumada a ter companhia tão cedo pela manhã. – disse ela sorrindo.
Voltaram a pedalar e foram conversando bastante pela orla. De repente o pneu de Fênix furou impedindo que ela seguisse. Derek ofereceu-lhe ajuda. Por coincidência estavam bem perto de onde ele morava e poderiam reparar o pneu para seguir com o treino.
Ela acabou por aceitar – que alternativa teria?
Chegaram logo a casa dele que ficava a umas duas quadras da orla. Antes de iniciarem o reparo, Derek sugeriu que tomassem algo na cozinha para aliviar o calor, que naquela altura já estava alto.
Enquanto tomavam um suco, Derek disse:
- Você está em ótima forma! Foi difícil conseguir te acompanhar lá na ciclovia!
Ela sorriu.
- Nossa! Deixa eu te perguntar uma coisa? Onde você arrumou esse sorriso? É cativante sabia?
Ela sentiu um arrepio percorrer-lhe a espinha. Será que estava segura? O que estava fazendo ali sozinha, na casa daquele homem, que acabara de conhecer, e que estava cantando-a descaradamente?
Abriu a boca para dizer que tinha que ir embora mas nesse momento seus olhos encontraram os dele e ela acabou por dizer:
- Que olhos penetrantes! Ai, desculpe! Não era isso que eu ia dizer....- disse rindo um pouco nervosa....
Nisso ela foi pega de surpresa quando Derek a envolveu com seu braço, segurando-a pela cintura e trazendo seu corpo para junto do dele. Sentiu sua respiração ficar ofegante e os pelos do braço se eriçarem.
Os corpos estavam suados e quentes ainda pelo exercício e quando se tocaram foi como se produzissem centenas de choques percorrendo os corpos em ondas.
Fênix suspirou...fechando os olhos. Pensou que devia resistir mas logo se entregou quando sentiu a boca de Derek invadir a sua. Sentiu, ainda de olhos fechados, que ele mordiscava levemente seus lábios, alternando um beijo suave com um mais voraz tomando sua língua e roubando-lhe o ar.
Ela abriu os olhos, fitando-o e teve certeza que Derek notara que logo abaixo da roupa de tecido fino propício para as pedaladas, seus mamilos haviam endurecido quase furando sua blusa.
Ele a pegou no colo, colocando-a sentada sobre a mesa da cozinha,beijando-lhe o pescoço, a nuca e o queixo. Num movimento rápido mas suave, tirou-lhe a blusa para encontrar o que buscava. Seus seios estavam agora sendo beijados por Derek.
Fênix sentia o prazer percorrer todo seu corpo e conforme ele sugava seus seios ela sentia novas sensações que pareciam convergir todas para sua buceta que neste momento pulsava irrequieta.
Ele não tardou a perceber isso e tirou o restante da roupa de Fênix, colocando-a na ponta da mesa. Abaixou-se e começou a lamber-lhe as coxas, virilha, até chegar à fonte de onde emanava todo aquele calor.
Ela estava encharcada e Derek aproveitou, usando sua língua para recolher todo o mel que dela escorria. Beijava, lambia e chupava. Rodeava em movimentos circulares para em seguida atacá-la de frente. Quando deu por si, Fênix estava com suas duas mãos apoiadas na mesa, a bunda levantada, fazendo com que a xana estivesse projetada para frente, rebolando na cara de Derek. Foi assim que ela gozou, gemendo alto, liberando todo seu desejo.
Dali, Fênix puxou Derek para o sofá da sala, tirando-lhe toda a roupa do corpo.
Ajoelhou-se frente a ele e começou a chupar primeiramente suas bolas. Percebeu quando Derek gemeu, no limite entre a dor e o prazer. Sentiu-se poderosa por despertar isso naquele homem. Continuou subindo pelo pau dele com a língua pela lateral até chegar à cabeça. Estava rijo e colocou-o na boca,chupando-o deliciosamente.
Com isto o fez estremecer e fechar os olhos. Viu quando ele os abriu novamente após sentir que ela agilmente sentou sobre o seu pau.
- Adoro assim! Me cavalga, minha morena!
- Sim, meu belo! – ela respondeu prontamente se movimentando sobre ele.
Ela também gostava dessa posição, pois podia ver a cara do homem que estava com ela enquanto subia e descia. Sentia enorme prazer em ver como ele segurava seus seios com as duas mãos ao mesmo tempo em que ajudava no movimento dos quadris.
O ritmo começou a se intensificar. Ela viu nos olhos dele o prazer que sentia e lhe disse:
- Quero que goze dentro de mim! Quero sentir teu leite quente me inundando!
Derek a pegou pela cintura, virando-a e colocando-a de quatro no sofá. Ele ficou de pé e passou da penetração carinhosa para estocadas fortes, demonstrando que o gozo chegava.
Gemendo alto deixou Fênix perceber que o clímax chegava, o que instantaneamente provocou nela também um tesão incontrolável fazendo com que os dois gozassem loucamente juntos.
Caíram no sofá,onde ficaram abraçados por um bom tempo. Depois tomaram banho juntos, cada uma esfregando o corpo do outro. Derek dedicou-se após o banho a hidratar todo o corpo de Fênix, em especial os pés e pernas os quais elogiou repetidamente.
Almoçaram juntos e Derek a deixou de volta em sua casa de carro pois não tiveram tempo para consertar o pneu.
Depois desse dia, Fênix religiosamente põe o pedal pra rodar todos os sábados na mesma hora. Tem certeza que não estará pronta em três semanas para agüentar o passeio de 50 quilômetros, afinal quando encontra Derek na ciclovia, sua concentração acaba e largam as bicicletas de lado.
Mas afinal, ela pensa, quem se importa com isso? Ela não, pois tem a certeza de que aprendeu a se exercitar de outras formas muito mais divertidas.

3 comentários:

Ulisses Fonseca disse...

Pena que não encontre uma "ciclista" dessa magnitude na minha ciclovia,
pois tbém iria esquecer de consertar o seu "pneu" Que bela Ragazza!!

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Dorei Fobofílica Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Eu acho que vou começar a pedalar mais aqui na minha nova cidade, a orla convida, mas a preguiça ainda fala mais alto, entretanto tudo isto é muito instigante e estimulante para dar ânimo. rsrss
Adorei, Derek!
Beijinhos e bom domingo!

http://contoseroticosdeayeskaeamigos.blogspot.com disse...

rsrs
Não sei quem teve mais sorte...rsrs
Bom te ler , reler viu HT!!!
E a Fênix Linda...aaaa mexe com a imaginação!!!

Bjs doces carinhosos da Branquinha e Ruivinha para os dois!


Ayesk@