quarta-feira, 4 de abril de 2012

Retrovisor (por Capetão In_Correto)



O dia já ensaiava amanhecer. Rodávamos sem destino desde o meio da madrugada e eu prolongava ao máximo aquele trajeto, pois já ouvira gemidos, tinha visto mãos e bocas afoitas e urgentes. Sentira o doce aroma do sexo em ebulição e eu queria mais, muito mais.
Pelo retrovisor, minha cúmplice me presenteava com um showzinho ímpar. Eu não queria parar de rodar, embora soubesse que ao fazê-lo seria presenteado com momentos ainda mais calientes.
Após soltar a direção, poderia me envolver, poderia participar! O tesão que eu sentia não me permitia tirar os olhos do espelho e estava apenas começando,...
Era a primeira vez que saiamos com outro casal. Minha delícia, no banco de trás, divertia-se com meu amigo enquanto eu estava com a esposa dele ao meu lado. Linda, pele sedosa e um mundo de desejos a flor da pele. Nós quatro nos provocávamos mutuamente a todo instante. Pelo retrovisor eu observava Ana me olhando nos olhos, mas entregue a um beijo guloso, cheio de mãos e seios de fora. Nosso amigo já havia tirado sua calcinha e dois dedos brincavam na xaninha de minha Ana.
No banco da frente, meu zípper aberto e uma boca safada quase me levava ao gozo, parava, esperava, para depois reiniciar tudo de novo.
Não era raro que ambas se beijassem e nos provocassem, aumentando ainda mais o clima de excitação dentro do carro. Numa das vezes que olhei pelo retrovisor pude ver nosso amigo roçando o pau na entradinha da buceta de minha Ana e ela com as mãos nos seios de nossa amiga. Eu não sabia se prolongava mais aquele giro pela cidade ou simplesmente entrava no motel mais próximo.
Preferi entrar de uma vez e liberar todos aqueles desejos que nos rondavam.
Olho os luminosos. Queria uma suíte legal, com uma grande cama e banheira.
Entramos no quarto. Elas se beijam e se despem mutuamente sobre a cama. Ambas ajoelhadas de frente. Eu e nosso amigo tomamos uma cerveja,  admiramos vocês.
Ana está cega, só pensa em possuí-la em sua boca. Coloca a mão no peito dela e a empurra para trás. Ela deita de pernas abertas, meio assustada, meio tesuda, com a atitude de minha Ana.
Tudo o que aconteceu depois foi fruto de nossas fantasias, das noites em que sonhamos juntos e do envolvimento gostoso que foi surgindo gradativamente com este casal de amigos. Praticamente namoramos por algum tempo até que nos sentíssemos confiantes e prontos para aquela noite.
Ana sonhava com uma DP vaginal e a teve. Mas isso é assunto para um próximo post.

2 comentários:

Bem Resolvida disse...

é conto ou é de verdade???? :P

tenho fantasia com carro. especialmente taxi. quando eu era solteira e saía com um cara aí, a gente já fez muita alegria de taxita. Meu marido não curte essa minha fantasia, já propus pra ele mas nada...uma pena...

SexyButterfly disse...

Depois de um capuccino pra aquecer... ou umas caipirinhas pra descontrair...

Ah, essas aventuras automobilísticas!

Beijos borboléticos!