quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

ARTHUR, GUINEVERE & LANCELOT (POR MERLIN rs)



Muito prazer! Sou um druida¹ que serve unicamente a sua Deusa e por toda eternidade exilado nas brumas da perdida Avalon², um voyeur que presenciou gerações contarem sobre este romance triangular na antiga Camelot. Ninguém poderia ousar fazer "pouco caso" do Rei da Bretanha também filho de Avalon, que construiu um império, muito menos de sua abnegada Rainha e de seu amigo Cavaleiro, que voltou de tantas missões e os salvou inúmeras vezes. “Quem conta um conto aumenta um ponto rs”, e muito se foi dito deles e dos Cavaleiros da Távola Redonda rs, tornaram-se lenda tanto quanto a espada excalibur, o Graal, Avalon e até eu mesmo me tornei uma lenda... ESTOU VELHO, RANZINZA E BROCHA e vai ser divertido contar-lhes aqui, numa Nau que está até me rejuvenescendo, e que com certeza virei outras vezes rsrs... Mas, contarei MUITO RESUMIDO o que mais se ouviu por toda Avalon, de como começaram....
Mais ou menos 500 anos depois do Cristo, na Lendária Camelot do Rei Arthur e de sua Rainha Guinevere, a paz aparentemente ainda habitada em todos os cantos daquele majestoso Castelo. Lancelot, seu melhor cavaleiro, seu melhor amigo e quase um irmão, tinha noites e noites de insônia por querer “ter a própria Rainha em seus braços”, os pensamentos mais safados, o sexo mais ardente, intenso e sagrado ele desejava ter com a Rainha, mulher de seu melhor amigo, amigo pelo qual ele daria a própria vida pois este era seu ofício e sina e... cada dia mais ele a queria mais. Impossível de se encontrar uma fórmula mágica, da Sagrada Avalon, que resolvesse tamanho (delicioso) tormento. O sexo mais sagrado porque ele também a amava, deste que seus olhares se encontraram pela 1ª vez, já souberam que tudo bem estava escrito nas estrelas. Fidelidade ao Rei amigo, Respeito aos bons costumes cristãos e o ar puritano no semblante de vossa Rainha, só faziam Lancelot evitar ao máximo o inevitável. Para complicar (ou melhorar rs) ainda mais este romance, Rei Arthur volte e meia os surpreendiam entre olhares inevitáveis, por mais discretos que tentassem ser e para a surpresa de sua Rainha e seu Cavaleiro, parecia que ele não via nada de mal, quase sempre sorria, parecia até gostar ou fingir que nada via.
Em seus aposentos todas as noites, Lancelot se masturbava imaginando Guinevere de todas formas... entrelaçada com ele... ajoelhada servindo ao seu prazer... a Rainha de quatro com ele puxando suas tranças, como se o Cavaleiro estivesse montado em uma égua no cio, pronta para ser domada... um misto de muito prazer mental e tortura que nem findava com suas masturbações noturnas (as vezes até diurnas!), só voltavam com mais nuances, detalhes e muito mais, e, para deixá-lo volte e meia pasmo, seus desejos pareciam tomar vida própria, em certas fantasias ele se via emrrabando a Rainha enquanto seu Rei amigo, também gozava muito só os vendo, isso quando em suas fantasias eles não trepavam os três...
Guinevere por sua vez também tinha os desejos mais intensos e também imaginava sendo não só Rainha de ambos, mas A MULHER DOS DOIS, ia sei lá quantas vezes se confessar ao seu “Cristo de Madeira” no altar da igreja, e nem coragem tinha de confessar ao sacerdote que, cada vez mais, o desejo de estar sendo fodida pelos dois ao mesmo tempo a deixava sem vontade de pensar em qualquer outra coisa....
O Rei não acredita que seria possível tamanha traição de ambos.... e que o escândalo seria a ruína de seu reinado mas... ele já tinha não só visto os olhares apaixonados bem como seu melhor amigo excitado, olhando para sua mulher. Nas primeiras vezes ele fingiu estar louco ou não estar vendo nada, mas, imaginar que seu melhor Cavaleiro devesse ser tão bom na cama como em ser Cavaleiro e que o toque de sua mulher era tão bom, digno de qualquer merecimento à altura, o fazia ficar cada vez mais excitado com a possibilidade dos 2 MERECEREM estarem juntos, não só os dois mas os três... e rsrsrs.... os três achavam que estavam cada vez mais loucos e possuídos pelo dito demônio, tão falado pelos sacerdotes cristãos.
Se eles se amavam porque não ficarem juntos? Cada um deles pensava isto a sua maneira. Artur começava achar que não tinham tido um herdeiro ainda por castigo Divino, Guinevere que arderia eternamente nas chamas do inferno só de desejar os dois ao mesmo tempo todas as noites e, Lancelot, que não era merecedor de ser o Cavaleiro chefe...

Sou um Druida rs, atemporal, nada melhor então que um dito popular tão usado em certas terras hoje em dia: “Água mole em pedra dura tanto bate até que rs.....”

Mais uma vitória para o Reinado de Arthur contra países inimigos, foi preparada uma daquelas festas onde os bons cristãos pareciam esquecer-se que se achavam “civilizados”, até Senhoras de Avalon convidavam, e por horas pareciam mais bárbaros felizes... Era a mais bela noite de Lua Cheia que já se viu em Camelot. Lancelot sentado no lado esquerdo ao lado da Rainha e Rei Arthur do direito. Eles já haviam bebido o suficiente para se esquecerem um pouco de proibir o tal “demônio cristão, todo inferno e danação rs...” muitos estavam presentes na festa mas, ninguém mais olhava para eles, todos pareciam estarem exteriorizando seus desejos tão pessoais que isolava-os em pequenos grupos felizes...e... Lancelot colocou sem pensar a mão na perna da Rainha, olhou para ela com tesão, olhou para seu amigo e o Rei também colocou a mão dele na outra perna dela, com um sorriso sincero e sacana... foi o aval para ela os levar para um bosque da Grande Deusa, um bosque próximo que, naquela hora era totalmente deserto. Infinitas foram as vezes que todos os 3 se imaginaram juntos nos aposentos reais mas, tinha tanta gente pelo palácio naquela noite de festa que, era mais sensato... eles sabiam dos riscos mas, se o mundo acabasse naquela noite eles queriam acabar juntos. Lancelot viveu boa parte de sua vida de Cavaleiro despravando horizontes, florestas desconhecidas e montanhas, e o bosque de sua Deusa Mãe era o lugar perfeito para oficializarem na prática, toda loucura deles, Guivenere queria ser tratada igual a uma cadela no cio, quase uma loba sendo devorada por dois lobos e Artur esperava que não fosse um sonho e que se fosse, de tão real, que eles não acordassem nunca mais....

(CONTINUA NA PRÓXIMA QUARTA rsrsrs... Que a Deusa em suas 3 faces os inspire...)


OBS.: 1 - Druidas (e druidesas) eram pessoas encarregadas das tarefas de aconselhamento, ensino, jurídicas e filosóficas dentro da sociedade celta.
2 - Avalon é uma ilha mágica da lenda arturiana, que, com a chegada do cristianismo, os povos antigos se exilaram e continuaram a cultuar a  Grande Deusa.
3 - Na próxima e última parte eu coloco uns "detalhes literários" da lenda arturiana como referência rs...
4 - vídeo com trechos de um dos muitos filmes sobre a lenda... não é o meu filme preferido sobre o tema mas foi o vídeo que gostei mais rs...
5 - Imagens da Internet rsrs....

7 comentários:

Satyro disse...

Um conto com muito tesão à mistura. Adorei e vou esperar ansiosamente pela próxima parte...
Beijinhos e parabéns, escreves bem p`ra xuxu.
:)))

http://contoseroticosdeayeskaeamigos.blogspot.com disse...

rsrs Sabiaaaaaaaaaaaaaa que você quem tinha escrito só pelo título!!!
Ameiiiiiiiiiiiiiiii...
E como uma fã de Avalon, Senhora do Lago e Lancelot rsrs

Aguardarei ansiosa por mais...

Bjs doces repletos de magias!

Ayesk@

LadySiri disse...

Mansinho!!! Logo vi que era você, rs. PER-FEI-TO!!! Me senti na própria lenda! Li todos os livros da série "As brumas de Avalon" da Marion Zimmer Bradley. E ainda por cima a lenda é super atual, e versa sobre uma, senão tantas histórias reais!!! Muito envolvente...e a música no final! Arrasou!!! Espero ansiosamente pelos próximos capitulos. Prazer imenso te ler!!!

Beijão

Rainha Samantha disse...

Muito Bom parabéns!!!!
Feliz Ano Novo Atrasado!
R.Samantha.

Eroticamente (In) Correto disse...

Mansinho,... Tinha que ser vc. Agora fiquei curioso e lamento ter que aguardar até a próxima semana para saborear o desfecho,...
Seja bem-vindo de volta sempre.


Abs. do IN_

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Dorei Fobofílica Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Mansinho, querido, que bom te ver por aqui e com a corda toda! Voce é bom demais com essas histórias, viu?
Que conflito solitario dos 3 e como voce misturou a história no tema da menage com maestria!

Beijinhos nos tres!

SexyButterfly disse...

Pelo título, já sabia que era coisa do Mansinho...
Sou apaixonada por essa história!
Arthur, Guinevere, Lancelot....só faltou a Morgana - de longe, minha preferida! rss

Belo texto, sob a ótica de um Merlin atemporal e aposto, muito, muito safado!

Beijos borboléticos!