domingo, 8 de janeiro de 2012

Destino - Parte 1 por Derek Dick

Derek havia se acostumado a estar sempre no domínio da situação. Muito seguro de si, de sua masculinidade e de seu poder de sedução acostumou-se a usar e abusar das mulheres com quem teve relacionamentos ou aventuras. Realizava todo tipo de fantasias.

Mas ele mal sabia que hoje essa verdade seria posta a prova de forma incontestável.

Um casal de amigos, Sandy e Edú, havia lhe convidado para uma balada rock´n´roll num barzinho com música ao vivo no bairro do Bixiga. A noite estava muito boa, ótimos sons, muita bebida e Derek havia se enroscado com uma garota com a qual rolaram uns amassados.

Ele havia tomado algumas vodkas com energético e só depois de voltar do banheiro percebeu que a garota tinha se mandado. Já eram cerca de três da manhã, a banda ao vivo parara de tocar e o barzinho já estava esvaziando.

Edú dava uns malhos em Sandy que estava sentada sobre seu colo. Estavam alheios a tudo que rolava em volta.

Com o energético ainda rodando em sua cabeça Derek não estava nem um pouco afim de encerrar a noite e cutucou o amigo Edú:

- Pra onde vamos agora?

- Depende o que quer fazer, amigo! E sua nova amiga, onde está? – respondeu Edú

- Edú, você sempre sabe das melhores festas...o que está rolando nesse fim-de-semana? Ah, e minha nova amiga se mandou não sei pra onde e fiquei na vontade.

Sandy, com um olhar safado, cochichou no ouvido de Edú, que ouvia atentamente ao mesmo tempo que observava Derek, e terminou sorrindo para ela, dizendo:

- Acho que ele vai curtir! Ah, vai!

Edú e Sandy abraçaram Derek e disseram que ele ficasse tranqüilo. Iria gostar do lugar.

Foram de carro pelo centro da cidade que a esta hora estava pouco movimentado. Depois de uns 15 minutos pararam em frente a uma casa muito grande toda cercada por muros de pedra. Parecia tomar a quadra inteira. Não havia placa nem nada parecido que indicasse do que se tratava o lugar.

Somente um pesado portão de madeira, onde Edú bateu com força. Pouco depois uma pessoa o abriu fazendo-os entrar e perguntando:

- Já conhecem a casa ou receberam alguma indicação?

Edú olhou para Sandy e responderam:

- Sim, nós já estivemos aqui antes. Somos amigos da dona da casa.

- Entendo. Então já conhecem o esquema e as regras, certo?

- Bem, eu não...- Derek começou a falar, mais foi interrompido por um beijo da Sandy.

- Ele não vê a hora de entrar logo! – Emendou Edú disfarçando. - Veja como estão afoitos! – disse apontando aos dois que se beijavam.

Depois Sandy disse baixinho a Derek:

- Não fale nada! Se perceberem que você é novato, vão fazer miséria com você! Cuidado!

Derek achou aquilo tudo um exagero, mas parecia que a aventura seria interessante, então entrou no jogo.

O recepcionista anunciou que o próximo sorteio aconteceria em 5 minutos. Serviu-lhes uma bebida e pediu que aguardassem numa sala cheia de sofás e poltronas, onde havia cerca de vinte pessoas, todas bem vestidas e bonitas.

- Que tipo de sorteio ocorrerá aqui? – perguntou Derek.

- Derek, aqui só vem gente que adora experimentar novas sensações. – disse Sandy.

- Eles sorteiam números. O seu está na comanda. E indicam salas onde você e cada um de nós deve ir. Lá passaremos por novas experiências. Nunca sabemos exatamente o que vai ocorrer, mas todas as vezes que estivemos aqui foram inesquecíveis. – disse Edú.

- Que tipo de experiências...- Derek foi interrompido pela chamada das comandas que começaram a ser anunciadas.

Logos seus amigos partiram. Foram chamados, assim como outros da sala em sucessão a eles.

- Número 10 e 12! – gritou a voz do recepcionista.

Derek se levantou pois sua comanda tinha o número 12. Apresentou-se ao homem, enquanto procurava pelo salão algum sinal da pessoa com o número 10. Foi então que percebeu uma mulher caminhando na mesma direção que a sua. Era loira, tinha umas tatuagens e seios grandes.

Achou que o quer que fosse ocorrer, deveria ser divertido acompanhado daquela loira.

Outro ajudante os encaminhou por um corredor estreito e os colocou para dentro de uma sala totalmente escura.

Derek se dirigiu a loira:

- Como é o seu nome e o que vai acontecer conosco aqui hoje?

Não houve resposta da loira. Em vez disso, Derek percebeu que havia uma terceira pessoa no aposento. Ele tentou achar um interruptor para acender a luz mas não encontrou nada.

- Quem está aí? – Derek perguntou e percebeu que começava a ficar assustado.

- Meu querido....Cale essa sua boca! – escutou uma voz rouca de mulher e em seguida sentiu algo enlaçando seus braços.

De repente luzes amareladas se acenderam fracamente. Derek percebeu que eram de velas, e olhando em volta pelo quarto percebeu a presença da loira que havia entrado consigo. Estava em um canto parecendo assustada. Havia também outra mulher, essa morena, bem a sua frente.

Percebeu que o que havia enlaçado seus braços era uma corda, que a tal morena puxou fortemente, fazendo com que Derek caísse de joelhos. Sentiu uma dor forte nos braços ,que agora se encontravam presos nas costas e imobilizados.

A morena deu as costas a Derek e caminhou em direção a loira. Foi aí que ele reparou nas coxas grossas dela que acabavam num mini-short de couro e que estavam recheados por uma maravilhosa bunda redondinha. O cabelo negro balançava com o caminhar sobre suas costas nuas.

A morena passou sua mão pelos cabelos loiros da outra mulher e depois suavemente pelo rosto. Disse-lhe:

- Querida, aproveite o calor deste nosso aposento, e tire toda sua roupa. Deixe-nos ver seu corpo bonito.

A loira obedeceu prontamente e respondeu:

- É verdade que estamos diante da rainha deste castelo?

- Sim, querida, vocês tiveram esta sorte hoje. – respondeu a morena.

- Olha, eu nunca estive aqui antes e não estou entendendo o que está acontecendo! Do que vocês estão falando afinal? E podem me soltar aqui....está meio apertado, sabe? – disse Derek impaciente.

Nisso, sentiu o olhar da morena acompanhado por um largo sorriso. Lembrou-se que seus amigos haviam dito para não revelar que essa era sua primeira vez no lugar. Gelou sentindo um arrepio na espinha.

- Minha criança! É sua primeira vez aqui? Que bom...adoro me divertir com carne nova! – disse a morena.

Ela ordenou a loira que pegasse uma coleira de couro que estava numa prateleira acima da cama e colocasse no pescoço de Derek.

Em seguida usou essa coleira para puxar Derek até si. Colocou-o deitado na cama e puxando o nó de seu braço esticou-o prendendo na cabeceira da cama. Derek sentiu um estalo no ombro e uma dor muito forte.

Depois de mandar que a loira tirasse os sapatos dele, a morena prendeu seus tornozelos a cada uma das pontas da cama com algemas de couro, de modo que Derek ficara com as pernas abertas em X.

A morena virou-se e voltou com um canivete aberto na mão. Derek viu a luz da vela refletir na lâmina. Um sorriso intrigante estava no rosto da morena quando disse a Derek:

- Depois de hoje você não será mais o mesmo! Quando lhe perguntarem quem foi a pessoa que lhe deixou marcas profundas você responderá: EROS!



Continua.

5 comentários:

Eroticamente (In) Correto disse...

Só uma perguntinha: É o momento de ficar excitado ou ainda é hora de sentir medo? Como tb sou novato estou meio em dúvida,...rsrs




Abraço do IN_

http://contoseroticosdeayeskaeamigos.blogspot.com disse...

rsrs
DD, que saudades do Edu e da Sandy!!
Adorei te reler e lembrar deles!!!

Beijos doces carinhosos e estimo melhoras, da Branquinha que é sua Fã!!!


Ayesk@

Satyro disse...

Isto começa a "squecer"...

Satyro disse...

Errata: aquecer

GataHari disse...

WOW estou fã!!! Quero o resto da história!!! :P