sábado, 7 de janeiro de 2012

BDSM light ou sexo apimentado?


   Eu gostaria de saber por que o meio BDSM é cheio de regras pré estabelecidas.

   Claro que existe uma larga diferença entre sadomasoquismo consensual e violência doméstica ou estupro, que muitas vezes acontece dentro do lar de pessoas casadas, sim, maridos que estupram suas esposas, porque não é por serem casados que ela pode ser forçada a fazer sexo quando não está disposta.  

   O que é o sexo apimentado?   Quando os pares concedem que haja os tapinhas e o que mais desejarem?    Claro que há um consentimento ali, muitas vezes não expressado verbalmente, não foi previamente combinado, pelo simples fato de que eles não conhecem o BDSM e por isto não seguem aquelas regrinhas que foram inventadas sei lá por quem.   Mas então vejamos; entre os praticantes de BDSM que se dizem com dezenas de anos de prática também não acontece o abuso?   Só porque se segue os parâmetros estabelecidos, não quer dizer que às vezes não sejam ultrapassados os limites alem da medida (que às vezes são ultrapassados propositalmente com a desculpa de que a intenção foi alargá-los para o crescimento e bem do submisso (a).   Será?).

   Afirmo que é muito complexo definir o que é BDSM light (tipo slave in love) e o que é sexo apimentado, mas não é difícil ver que SADOMASOQUISMO e sexo apimentado não tem diferença nenhuma, o que falta mesmo é conhecimento, porque as pessoas têm preguiça de ler e se informar em plena era da globalização, com a internet a disposição e só usada para futilidades.

   Na prática não vejo diferença entre aqueles ditos praticantes de sexo apimentado e os prepotentes que se autodenominam praticantes de BDSM light erótico; falta apenas o conhecimento das tais regras.   Como exemplo fora do contexto apenas para ilustrar, digo que o sexo apimentado está para o BDSM, assim como o menino que vive perto do rio e aprende a nadar contra a correnteza comparado ao menino da cidade que aprende a nadar na piscina do clube do bairro, na verdade os dois nadam, apenas que o menino de beira de rio não conhece as regras, mas certamente pode sobreviver na água talvez até melhor que o menino da cidade. 

   Na verdade, quando o bom senso e o desejo de se informar predominam, tudo vai bem, tudo é sadomasoquismo light erótico.   Já BDSM pode mesmo ser outra coisa, pois é algo mais cheio de regras e regulamentos.   Mas sadomasoquismo está na essência do ser humano, às vezes somos sádicos e às vezes masoquistas, depende da área da vida, mas como aqui falo de sexualidade, afirmo que se tirarmos as regras feitas por alguns e seguida por outros tantos, na prática não há diferença essencial entre sadomasoquismo erótico light e sexo apimentado.


   O fato é que em caso nenhum pode haver violência e agressões físicas ou psicológicas não consensuais, pois a LEI MARIA DA PENHA está aí para isto mesmo, seja baunilha ou não, ela vale para todos.



Esta é a minha opinião.

Por Dorei Fobofílica. 

5 comentários:

Eroticamente (In) Correto disse...

Continuo me vendo em teus escritos. É quase uma aula de auto-conhecimento,...rsrs




Beijos do Capetão

JK disse...

É isso aí, amiga!

Aqui não pregamos violência, nem pedofilia,nem coisa alguma que viole o ser humano...
Todos sabemos que sexo é sexo e tem quem se entregue e quem se castre...
Cada um sabe de si e se sentir agredido, tem onde reclamar seus direitos... Mas, também, quem gosta, disso ou daquilo, tem o direito de falar, de contar, para que mais pessoas saibam, que não estão fazendo nada errado. Só é errado, se um dos envolvidos não consentir...

Um abraço! Parabéns pelo post!

EU SOU NEGUINHA disse...

Como sempre,né? te aplaudo.
Beijos em ti..
{Nega}_(V)

Satyro disse...

Minha princesa de foda, do BDSM só gosto de ler os vários blogues que por aí circulam e dos quais gosto bastante. Particularmente daqueles que fazem parte dos meus blogs favoritos e que tenho linkado na margem esquerda do meu. E porquê? Pergunta a minha fodilhona amiga, muito bem, eu respondo, é que sou bastante sensivel à dor e também não gosto de provocar dor ao outro. Resumindo, sou um gajo demasiado meigo para me dedicar ao BDSM.
Beijinhos

http://contoseroticosdeayeskaeamigos.blogspot.com disse...

Querida Professora, como sempre tiro o chapéu!!!

A Lei da Maria da Penha , nome dado em homenagem a Maria da Penha M. Fernandes, que sofreu violência doméstica durante 06 anos e teve que procurar seus direitos (para que seu marido e agressor; fosse devidamente penalizado ), fazendo uma denúncia para um orgão internacional, algo lastimável para o nosso País.
Mas, infelizmente aqui é assim.
A Lei da Maria da Penha, em alguns Estados não é devidamente bem interpretada e ao meu ver tem falhas.
Um réu primário, que espanca sua esposa, pode pagar fiança e responder em liberdade pelo crime.
E em alguns casos, a mulher que sofre violência doméstica, procuram as DDMs , fazem ocorrência e não dão continuidade, continuando a mercê de seus maridos agressores.

Desculpe, essa Lei mexe comigo...
Sou contra o nosso Código Penal e nossas penas, considero a maioria branda demais e por isso a criminalidade e violência está aumentando cada vez mais em nosso País.

Quanto ao BDSM, acho ótimo que oriente as pessoas, pois como eu , existem muitas pessoas leigas.
Algumas, até a vêem de forma negativa.
Eu mesma estou abrindo minha mente e mudando minha forma de pensar, após te ler !!!

Beijos doces carinhosos e um mega genial Domingo!!!

Ayesk@