quarta-feira, 28 de março de 2012

Boquete Inusitado


Na época eu trabalhava no turno da noite em uma grande fábrica da região. Éramos muitos e, pelo avançado da hora, o ônibus da empresa nos levava para casa. Era meu segundo mês na empresa e, tirando fora o salário que era baixo, eu não tinha queixas.
Já Mari, era menina linda. Pegava o mesmo ônibus todas as noites e trabalhava em outro setor da fábrica. Eu a olhava e desejava, mas não passava disso. A aliança no dedo me contava que era noiva e isso diminuía minhas chances de ter aquela mulher estilo mignon e dona de fantásticos lábios. Ah, como eu a imaginava,...
Numa noite, ao sair do vestiário masculino eu a vi entrando no feminino, mas ela estava com os olhos inchados, parecia ter chorado. Cheguei a abrir a boca para dar um “oi”, mas foi tão rápido que eu acho que ela nem percebeu.
Já dentro do ônibus, e como de costume, no último banco a direita. Acomodado depois de uma noite de trabalho árduo eu confesso que acabei cochilando. Acordei com uma mão macia forçando minha boca. Abri os olhos assustado e, adivinha: Era Mari.
Ela colocou o dedo indicador sobre seus lábios me mandando ficar em silêncio. Mesmo no escuro ainda pude reparar os olhos brilhantes e inchados naquele belo rosto. – Obedeci. – Sem tirar a mão da minha boca, com a outra ela foi abrindo meu zipper lentamente, para que não houvesse barulho. Instantaneamente meu pau endureceu e ao saltar para fora já latejava. Mesmo antes de saber o que aconteceria.
Uma lágrima silenciosa agora brilhava no rosto de Mari. Mas ela me olhava fixamente enquanto começava uma punheta macia, lenta e quase carinhosa. Sentir aquela mão em meu sexo era um presente dos deuses e eu sequer podia retribuir.
Ela foi descendo em direção ao meu pau. Primeiro seus lábios  roçaram sobre ele, depois, pela boca semi aberta, a língua brincava com a cabeça dele e, quase sem perceber ela o fazia desaparecer naquela boca quente e ávida. Eu queria gritar! Mas não podia, ela não tirara a mão da minha boca.
Me chupou como a devassa que eu jamais imaginara que fosse. Literalmente o engoliu e, em movimentos circulares eu sentia sua língua, garganta, saliva, lábios,... TUDO! Quando eu, já sem forças para me segurar por mais tempo, retesei o corpo anunciando o gozo, ela o engoliu mais fundo e apressou os movimentos.
Jorrei com fartura naquela garganta sedenta pelo meu leite e Mari sorveu até a última gota sem deixar sequer vestígios que eu acabara de gozar fartamente. Limpou sua boca na minha camisa, depois colocou a mão por dentro de sua saia, molhou o dedo em seu próprio mel e passou em meus lábios. Ao tirar o dedo que eu queria lamber despudoradamente deu-me um beijo de língua. Como os sabores de ambos misturados.
Antes que chegasse sua vez de descer, cochichou em meu ouvido:

--  Meu noivo me trocou por uma vadia e ainda teve a coragem de dizer na minha cara que eu não sei transar. Preciso da opinião de um homem. Você gostou do meu boquete? Eu faço direito?
Eu ainda estava perplexo. A menina mais gostosa da empresa havia me presenteado com o melhor boquete da minha vida e ainda queria minha opinião.
-- Você chupa como uma deusa. Quero provar mais de você.
-- Quem sabe. Respondeu ela. Agora com um sorriso no lugar daquele rosto triste e choroso.
-- Mas eu quero e muito. Retruquei.
-- Me liga no sábado. Se eu estiver me sentindo melhor,... E pegou uma caneta da bolsa, anotou seu telefone em minha mão. Deu um selinho e desceu sem olhar para trás.

Vocês querem saber se eu vou ligar ou não Né? O que vai e o que não vai rolar?
Bom, amanhã é sábado. Quem sabe semMari que vem eu resolva narrar o que esta mulher traída e decepcionada é capaz de fazer para reconquistar sua auto estima.
ME AGUARDEM!
É claro que eu liguei no final de semMari. Queria mais daquela mulher. Queria tudo, mas o celular dela estava desligado e isto foi altamente broxante para mim. Sai com os amigos, bebi algumas brejas, mas decididamente não conseguia tirá-la da cabeça. Aquele boquete mexera não só com a minha libido, mas com todos os meus sentidos. Naquele fim de semana eu bati todas, lembrando daquela boca carnuda que me sorvera até a última gota.
Na segunda fui trabalhar e não a encontrei pelos corredores da empresa. No ônibus sequer olhara para mim. Exceto na hora dela descer, pois foi quando sorriu-me e passou-me um bilhetinho, depois foi-se sem olhar para trás.
O BILHETE:
“Me desculpe pelo que fiz com você e por não atender o celular. Voltei para meu noivo. Ele suplicou por outra chance. Mas não voltei para tentar não. Voltei para me vingar daquele FDP`. Amanhã ele vai me esperar onde desço do ônibus e, com certeza vai me beijar. Quero estar com o teu leite na minha boca, para que ele prove um pouco do que fez comigo. Se você quiser bis e concordar em fazer parte da minha vingança. Prepare-se. Amanhã você vai ter que gozar muito para a sua nova cadelinha”.
Ass.: Mari

Em casa já, eu não conseguia parar de pensar. Eu não queria apenas boquetes casuais ou fazer parte de uma vingança. Eu a queria na minha cama. Queria calar fundo na alma daquela garota gostosa e atrevida. Foi então que resolvi que arriscaria todas as fichas na noite seguinte.
Preparei o seguinte bilhete e arquitetei colocá-lo entre seus seios, após o boquete que ela me faria.
“Mari. Eu tenho pensado muito em você e os boquetes que faz são divinos e eu os amo. Contudo, eu quero mais. Quero tudo de você e com você. Portanto, apesar de estar adorando as noites no ônibus, eu só vou permitir que você beba do meu leite novamente se você realmente se portar como a cadelinha que diz ser e deixar eu comer o teu cuzinho e a tua bucetinha também. De outra forma paramos por aqui”.
Ass.: Fredy

Eu ainda não fazia idéia de como ela reagiria, mas joguei alto e meu coração batia a duzentos por minuto. Era o tudo ou nada. Se ela queria que o namorado fosse corno, então que fosse por completo.
Esta foi a minha decisão!
Qual seria a reação dela? Aceitaria? Me ignoraria?
Eu realmente não sabia e esta curiosidade decididamente estava me corroendo.

In_Correto

3 comentários:

{princess kitty}龍戦士 disse...

Oi querido!!!

Miauadorei!!! Espero que tenha a segunda parte pra gente saber o que ela decidiu ;)Muito excitante!!!

Miaubeijos com carinho =^.^=

INUSITADA ROSA disse...

Q delicia...srsrsr
ler ser texto só me deu a absoluta certeza que meu Amado... Ama meus carinhos INUSITADOS... em meio ao corre corre do dia-a-dia...beijos...IN...
INUSITADA...

Projeto Pornô disse...

Que delícia de conto, leia os meus depois www.projetoporno.com.br