terça-feira, 27 de março de 2012

Vizinhos...

           

      Ela morava numa rua sem saída, com casas, de um lado só. A sua, era a última. Atrás dela, havia um enorme sítio, muito arborizado. Nada de vizinhos ao fundo. Um bom lugar para se viver bem...
      
    A casa anterior a sua, ficara por muito tempo, vazia. Porém, um belo casal acabara de comprá-la. A moça era uma loira bonita, do tipo gostosa... O moço era um moreno, magro, tatuado, muito sedutor...        Um clima de boa vizinhança, havia entre todos...
    
    Um belo domingo, acordaram com um barulho estranho. Levantaram para ver o sucedido. Uma parte do muro, que dividia as duas casas, havia se rompido. O casal ao lado, já estava ali, investigando.        
    O problema tinha que ser solucionado logo, por vários motivos.        Depois de muita conversa, resolveu-se que Ela iria com o vizinho, de moto, comprar o material, porque o carro dela estava na oficina e o seu cartão de crédito era o melhor de todos os outros. A opção que sobrou era esta. Ela e o vizinho iriam e seu namorado e a vizinha, ficariam.    
 
    Apressadamente saíram, em busca de alguma Ferragem aberta. Foram até um local e nada. Falaram com um rapaz na rua e ele informou que no bairro próximo, havia uma, que abria aos domingos. Lá se foram os dois.        Não tinham muito tempo. A loja fecharia.      
 
   No caminho, Ela teve que encostar mais seu corpo no dele, para não cair da moto, que estava em grande velocidade.        Sentiu seu sangue fluir... Sem perceber, estava apreciando o pescoço do vizinho... As pernas dele expostas, na bermuda que havia subido, também chamavam a  atenção de seu olhar atrevido...      
    Espantou seus pensamentos... Lembrou que tinha uma lista de coisas para comprar e esqueceu seus lampejos audazes...        Encontraram a loja, compraram. O produto iria ser entregue depois do almoço.      
     Antes de subir, novamente na moto, ele falou:
    -Bah! Cansei! No primeiro barzinho aberto vou parar, para tomar um refri. Não tá com sede??                         -Tô meio zonza, com essa nossa correria. Um refri vai cair bem!!!
       
   Quando desceram para entrar no bar, ele já foi dizendo:      
  -Que tal uma cerveja???      
  -Bem pensado!!! Mas, só uma, que você está dirigindo...      
  -Sei disso. Hoje tem pouco trânsito e vou bem devagar, não te preocupa! 
 
    O calor, fez com eles, tomassem bem rapidinho, uma garrafa de cerveja. Estavam com sede e pressa.        Tão logo beberam, saíram.      

    No meio do caminho, ele levantou a viseira do capacete e disse:      
    -Vou ter que parar, para tirar a água do joelho!      
    Ela riu e assentiu.      
    Desceram, Ela estava  se ajeitando, quando sentiu a mão dele, em sua cintura...      
    Ele segurou o capacete dela, colocou-o no chão e sem falar nada, beijou-a...      
   -Não podemos...        
   -Não fala, esquece tudo...    
   Agarrou-a, beijou-a... Abriu sua blusa, admirou seus seios.      
   -Você é louco!!!      
   -Sou e você sabe disso!!!      
   -É tão visível assim???      
   -Sei que também me quer, como eu te quero!!!... SOMOS VISÍVEIS...

       

    Beijavam-se... Falavam... Agarravam-se... Suas mãos incontroladas, não paravam...  
   -Olha o que deu tempo de pegar antes de sair...    
   -Não acredito!!!      
  Tudo aconteceu rapidamente... Apenas um lugar de difícil acesso, muito desejo e uma camisinha, que o sábio do vizinho lembrou de pegar...      
 
   A rapidinha mais gostosa, mais esperada e mais bem sucedida, dos últimos tempos, aconteceu...

   Tinham que voltar logo... E assim o fizeram...      

   Em casa, esperando-os, estava o namorado em frente à churrasqueira e a loira, com outra na mão...

    -Vocês trabalharam por aí e nós por aqui!!!  Disse a vizinha.    
    -Churrasco e cerveja!!! A coisa tá boa, hein?!      
    -Conseguiram???      
    - Tudo! Vem daqui a pouco!      
    -Demoraram! Onde foram?      
    -Só encontramos uma loja aberta, no bairro vizinho.


    Enquanto colocavam a conversa em dia, mais uma cerveja foi aberta e o aperitivo, já estava sendo servido. (Coraçãozinho assado e passado na farofa.)      

   O que era para ser trabalho, virou uma festa... Que depois viraria trabalho...

   Os olhos dos que chegaram, perceberam o mesmo olhar, nos que ficaram...      
   O que aconteceu na rua... Em casa, não restava dúvidas, que também havia acontecido...

    Muita cerveja ia rolar... Outros olhares iriam cruzar... Corpos iriam se entender...         Vizinhos iriam... COMPARTILHAR...
   
     NADA ACONTECE POR ACASO. (Duvido que você, já não saiba isso!!! rsrs)          

     VOCÊ PODE ATÉ SE ARREPENDER, DO QUE JÁ FEZ... MAS, SE NÃO O FIZER, COM CERTEZA, SE ARREPENDERÁS, BEM MAIS...
       

3 comentários:

Bem Resolvida disse...

nao faria questão de vizinhos assim...só da vizinha :P

{princess kitty}龍戦士 disse...

Miauuu!!!

Eu queria ter uns vizinhos dispostos e interessantes assim rsrs.

Miaubeijos com carinho!

PS:As duas últimas frases são perfeitas!

SexyButterfly disse...

Com certeza, só me arrependo do que deixei de fazer!

Beijos borboléticos!